Conecte com a gente

🗞️ Giovanni Andrade

Giovanni Andrade “Uh, uh, o papai chegou”

Especialista em futebol espanhol do Tá Na Súmula apresenta os motivos para acreditar no Real Madrid

Elenco do Real preparado para a decisão em Kiev
Foto: Divulgação, Real Madrid

A decisão pela “orelhuda”, taça mais cobiçada do cenário europeu se aproxima. A final entre Liverpool e Real Madrid é sem dúvida um dos mais aguardados do ano, com diversas projeções e apostas de um vencedor. O favorito, todos nós sabemos quem é. Eu confesso, não é nem o time para o qual estou torcendo. Por mais que acompanhe diariamente o futebol espanhol, quero uma vitória inglesa para quebrar a monotonia dos últimos anos. Porém, não dá pra fugir da realidade. Quando o assunto é Champions League, o Real Madrid chega para a disputa cantando alto “Uh, uh, o papai chegou”.

Se trata da equipe com mais finais disputadas (16) e conquistas do título (12). Não é exagero apontar os merengues como o maior clube do mundo. Por tamanho, tradição, representatividade no esporte e outros aspectos. Os madrilenhos sustentam uma trajetória com início nos anos 50, consolidada no fim do século e começo de 2000, e que mantém o nível nos últimos anos. Entre tantos canecos e ainda lembrando que é o atual campeão das últimas duas temporadas, o Real chega para a partida mais tarimbado que o rival.

Dentro de campo, as razões para acreditar em “la 13” continuam. A equipe de Zidane mantém uma base que se alterou pouco desde a última final. Neste elenco, tem praticamente uma escalação cheia de craques com capacidade de resolver partidas. Tanto na defesa, na figura do capitão Sérgio Ramos, um dos melhores zagueiros do Mundo, quanto de CR7, artilheiro do torneio e um atleta acostumado a fazer a diferença em grandes jogos.

O trunfo madrilenho contra o Liverpool está em seu equilíbrio tático. Diferente do adversário, o Madrid tem uma solidez defensiva que traz segurança ao gol de Navas. Neste esquema, o ponto fraco do Real está nos flancos, principalmente nas costas de Marcelo. Mesmo assim, a cobertura dada por Casemiro devolve uma tranquilidade para o apoio do lateral. Assim como os ingleses, o clube merengue sabe armar um contra ataque mortal. Basta um vacilo, para a casa dos Reds cair.

A superioridade do Real Madrid está tirando a graça do maior torneio do Velho Continente. Nos últimos anos, uma decisão emocionante é reduzido a um “Vale a pena ver de novo”. Minha torcida, vai para que alguém quebre essa hegemonia. Porém, se fosse apostar todos os butiás que eu tenho no bolso, colocaria nos espanhóis. Mais uma vez.

Qual a sua opinião?

Mais em 🗞️ Giovanni Andrade